A argamassa estabilizada é um elemento chave para contribuir com o quesito sustentabilidade, que tem se tornado uma grande preocupação do mercado. Ela melhora a qualidade produtiva, a racionalização do trabalho na obra e a redução de resíduos. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto.

O que é a argamassa estabilizada?

A argamassa estabilizada é produzida através da mistura de cimento, água, areia e aditivos,  sendo entregue úmida e pronta para o uso. Seus elementos quando combinados são capazes de manter o aspecto de produto fresco por um período de tempo mais longo. Essa característica oferece mais facilidade de logística e de aplicação nas obras. Embora seja diferente, a argamassa estabilizada possui um comportamento bem parecido ao das argamassas tradicionais.

Em síntese, no quesito sustentabilidade a principal vantagem dela é que gera menos desperdício, assim evitando a contaminação do meio ambiente e reduzindo também os custos da obra.

As principais indicações para o uso da argamassa estabilizada são:
  • assentamento de blocos ou tijolos de concreto e cerâmicos;
  • reboco de paredes internas com ou sem revestimento;
  • reboco de paredes externas sem revestimento cerâmico;
  • chapisco;
  • camada regularizadora de pisos;
  • enchimento de tubos;
  • rejunte;
  • impermeabilização;
  • marquises e sacadas;
  • rejunte de telhas.

A única restrição de aplicação é em camadas espessas, em substratos de baixa absorção ou com temperaturas mais baixas. O seu comportamento depende da perda de umidade, portanto a sua utilização pode requerer um período maior entre o lançamento na parede, corte e desempeno.

Vantagens do uso da argamassa estabilizada:
  • redução de custos;
  • otimização do espaço no canteiro de obra;
  • maior precisão no cálculo de consumo e também de custos com a argamassa;
  • facilidade de manuseio;
  • eliminação da etapa de preparo;
  • economia com mão de obra;
  • maior agilidade na etapa de alvenaria;
  • redução nas perdas de materiais;
  • facilidade de carga e descarga;
  • melhor homogeneidade e permeabilidade.
Cuidados com o uso da argamassa estabilizada:
  • não utilizar para fazer o reboco ou emboço de paredes externas que já estejam com revestimento cerâmico;
  • a argamassa deverá permanecer em caixas estanques de plástico ou de metal e em uma superfície plana quando ela for descarregada;
  • deixá-la sob uma película fina de água quando não for usar a argamassa, protegida do vento, da chuva e do sol;
  • não use a argamassa estabilizada após 24 horas, mesmo que o aspecto dela for fresco;
  • outros componentes nunca devem ser adicionados à argamassa.
Como é feito o fornecimento da argamassa

Seu fornecimento é feito do mesmo modo que o concreto, por caminhões betoneira, podendo ser bombeada até o local de aplicação ou transportada do jeito habitual.

Dentro da obra, o deslocamento vertical da argamassa estabilizada costuma ser realizado por elevadores ou por meio de mini gruas. Já a movimentação horizontal é feita através de jericas, que depositam o material em recipientes (masseiras) específicos para o uso.

Usualmente, a argamassa é descarregada em caixas plásticas de 0,20m³ a 1 m³ e devem ser consumidas uma de cada vez. Uma argamassa nova não pode ser misturada ao que restou de uma argamassa velha. Nesse sentido, o fornecimento para o canteiro de obras é executado diariamente até que toda demanda seja suprida.

Lembrando que para aproveitar todos os benefícios da argamassa estabilizada em sua obra é essencial se certificar que a quantidade do produto seja suficiente para o dia de trabalho. Além disso, sempre é preciso calcular um estoque para o início do próximo dia.

Se você ainda ficou com alguma dúvida, não deixe de entrar em contato conosco.