• contato@superconconcreto.com.br
  • (14) 3281-3838

Concretos Convencionais e Bombeáveis

A Supercon trabalha com concreto convencional e bombeável de alta qualidade para diversos tipos de obra.

Não se trata apenas de misturar água, cimento, brita, areia e agregados. É utilizar a técnica correta, com as melhores matérias-primas, para que o resultado final seja um produto resistente e de qualidade superior, para a segurança da sua construção.

A Supercon utiliza uma moderna estrutura de fábrica, equipamentos, maquinários e veículos, além de laboratório tecnológico próprio, e mantém investimentos constantes em infraestrutura e treinamento de equipe.

Conheça todos os Tipos de Concreto

untitled-design-940x675

O concreto é o elemento mais comum nas construções em geral. Por sua versatilidade, facilidade para trabalhar e baixo custo de mão de obra e produção, tem sido a melhor opção.

Mas, você sabia que há cerca de 30 tipos de concreto? Quando outros componentes são adicionados em sua composição, o concreto muda suas características e suas aplicações passam a atender a uma grande quantidade de demandas de projetos.

A seguir, listamos os vários tipos de concreto. Conheça!

Concreto Usinado

O concreto dosado em central (CDC), conhecido como usinado, é monitorado e preparado com dosagem ideal de material. Garante melhor qualidade ao concreto virado in loco, maior segurança e durabilidade. Proporciona mais agilidade e produtividade, auxilia na redução mão de obra e otimização de espaço. É recomendado para todos os tipos de obras, principalmente as estruturais.

Concreto Convencional

Está presente na rotina de qualquer construção. Não tem uma característica especial e pode ser utilizado em todo tipo de estrutura, sempre analisando o traço mais econômico, conforme a determinação de segurança da ABNT. O caminhão pode descarregá-lo diretamente nas formas no canteiro de obra, ou também há a possibilidade de ser transportado em carrinhos de mão, gericas, gruas ou elevadores.

Concreto Bombeável

Este tipo de concreto é bastante usado em residências e grandes edifícios. Para ser bombeado, o concreto precisa alcançar um nível de fluidez que o permita atravessar uma tubulação que varia de 3 a 5½ polegadas de diâmetro. O caminhão betoneira descarrega o concreto na bomba, que o leva até o local da aplicação, por meio da tubulação. O bombeamento traz os benefícios de agilidade na concretagem e no transporte, pois elimina a necessidade de uso de carrinho de mão ou similares, melhora a trabalhabilidade, necessitando de menos vibração para um acabamento superior.

Concreto Dosado em Central

Este tipo de concreto segue todas das recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, fruto de muitas pesquisas e testes. Ele é fornecido por empresas prestadoras de serviços de concretagem (concreteiras), através dos caminhões betoneira e essas companhias respondem pelo transporte, dosagem, mistura e resistência do concreto.

Concreto Virado na Obra

Este é o jeito popular de se referir ao concreto preparado na própria obra. A mistura de aditivos e agregados é feito no local, fazendo uso de mais equipamentos como betoneiras elétricas, pás, enxadas, latas, baldes e mais mão de obra.  Implica em mais espaço físico e sujeira, além de maior consumo de água e energia elétrica. Ao fazer esta opção, é preciso considerar com cautela a relação custo x benefício.

Concreto Pré-Moldado

Este tipo de concreto é utilizado em estruturas de base, como vigas, lajes e pilares, que precisam ter seu ponto de resistência trabalhado antecipadamente. São as famosas estruturas pré-moldadas. É possível contratar direto de empresas especializadas, com as características pretendidas e o transporte incluído. Quem opta por moldar o concreto na obra deve ter um aparato tecnológico para garantir a resistência, o acabamento e a qualidade ideal, além do espaço e mão de obra. Como costumam ser estruturas de grande porte, é importante considerar com atenção o planejamento da fabricação do concreto pré-moldado.

Concreto Protendido

Quando o objetivo é conseguir trazer mais força ao concreto, uma das estratégias empregadas é a protensão. A peça concretada sofre uma carga mais intensa de compressão prévia, o que lhe confere maior potência, tudo conforme a exigência do projeto. Destacamos algumas vantagens mais importantes desta técnica como a redução na incidência de fissuras, a diminuição na dimensão das peças – devido à maior resistência dos materiais empregados, e a possibilidade de vencer vãos maiores do que o concreto armado convencional.

Concreto Armado

Quando a estrutura concretada é composta também por armações de aço é chamada de concreto armado. Qualquer laje e viga tem esta composição em sua estrutura. Somente com cálculos específicos se atinge o ponto exato de eficiência e resistência e os chamados engenheiros calculistas são especialistas nisso. São eles quem determinam a resistência do concreto, a bitola do aço, o espaçamento entre as barras e a dimensão das peças que farão parte do projeto.

Concreto Rolado

É o tipo mais presente em obras de pavimentação urbana e grandes barragens. Como seu acabamento não tem a mesma qualidade dos pisos industriais ou das pistas de aeroportos e rodovias, ele é mais utilizado como sub-base.

Concreto Resfriado ou Gelado

Também chamado de gelado, esse tipo concreto leva gelo em sua composição para reduzir a temperatura do seu lançamento, no lugar da água. Esta técnica serve para diminuir a tensão térmica que promove um tempo maior de trabalhabilidade, eleva a resistência à compressão e evita fissuras.

É uma técnica que requer uma logística mais detalhada. O gelo usado deve ser moído e ficar acondicionado em caminhões frigoríficos. Ele só será colocado na betoneira pouco antes desta ser carregada. Dependendo do porte da obra, é necessária uma montagem especial para a produção de gelo no local da construção.

O concreto resfriado é mais utilizado em estruturas de grandes dimensões, ou seja, barragens, alguns tipos de fundações, bases para máquinas e blocos com alto consumo de cimento.

Concreto Colorido

Trazem bom resultado estético quando aplicados em peças como pilares, blocos e pisos, podem ser conjugados com texturas diferentes. O concreto colorido é obtido através da adição de pigmentos à mistura, que é feita diretamente no caminhão betoneira, logo após a dosagem dos outros materiais. Para garantir a durabilidade das cores, é importante observar a vibração do concreto, a qualidade e o processo de aplicação das formas.

Concreto Auto-Adensável ou Fluido

É trabalhado de modo a fluir com facilidade dentro das fôrmas, passando pelas armaduras e preenchendo os espaços sob o efeito de seu próprio peso, sem o uso de equipamento de vibração. Para chegar a este resultado os aditivos superplastificantes entram em cena, proporcionando facilidade de bombeamento, homogeneidade, resistência e durabilidade.

Seu uso é especialmente interessante para calçadas e lajes, uma vez que ele faz seu próprio nivelamento, poupando mão de obra. Sua indicação vale para concretagens de peças densamente armadas, estruturas pré-moldadas, formas em alto relevo, fachadas em concreto aparente, painéis arquitetônicos, entre outras.

Concreto Leve

São conhecidos pelo seu reduzido peso específico e elevada capacidade de isolamento térmico e acústico. Enquanto os concretos normais têm densidade variando entre 2300 e 2500 kg/m³, os leves chegam a atingir densidades próximas a 500 kg/m³. Cabe lembrar que a diminuição da densidade afeta diretamente a resistência do concreto. Alguns levam agregados suaves como isopor e argila expandida. Serve para regularizar superfícies, para fabricação de blocos e envelopar tubulações.

Concreto Pesado

Para que se torne um concreto pesado, a composição deve incluir agregados com maior massa específica, como barita, hematita e magnetita. Esta mistura trará maior capacidade de proteção contra radiações e durabilidade. Ele é o mais recomendado para obras de câmaras de raio-x ou gama e paredes de reatores atômicos.

Concreto Submersos

É aplicado na água como tubulões, barragens, estruturas submersas no mar ou água doce e obras de contenção, por exemplo. Para evitar a dispersão do concreto ao entrar em contato com água e maior resistência, são usados aditivos especiais. É comum que a aplicação seja feita por mergulhadores especializados, portando a mistura precisa contemplar a visibilidade e a segurança desses profissionais, além do impacto no meio ambiente.

Concreto Celular

Este é um tipo de concreto leve, com composição parecida a da argamassa (cimento, cal e areia),  porém são adicionadas microbolhas através de espuma líquida e um gerador de espuma em sua composição. No Brasil, é bastante comum na construção de casas populares, nivelamento de pisos e pré-fabricados.

Concreto Ciclópico

Também conhecido como fundo de pedra argamassada, leva tipos específicos de rochas em sua composição. As chamadas “pedras de mão” ou “matacão” têm entre 10 e 40 cm de comprimento e mais de 5 quilos. Devem ser adicionadas no local onde o concreto foi aplicado e não na betoneira. Todo o processo é regulamentado pela ABNT.

Apesar de não fazerem parte da composição original do concreto, as pedras precisam ter a mesma origem e padrão de qualidade das britas usadas. Precisam estar limpas e sem vestígios de elementos que possam prejudicar o resultado final. Vale a pena fazer todo este investimento em peças de grande porte por envolver cuidados específicos quanto ao controle das dosagens, transporte e armazenamento.

Concreto de Alta Resistência Inicial

Como atinge alto nível de resistência em pouco tempo, consegue dar agilidade à obra e ser útil em situações de emergência. Com isso, gera redução dos custos com funcionários, aluguel de fôrmas, equipamentos, dentre outras vantagens. Para atingir essa alta resistência inicial executam-se medidas específicas de aditivos e cimento especiais, conforme as particularidades da obra. Nesse caso, quanto mais informações sobre as necessidades do projeto, melhor.

Concreto com Adição de Fibras

Naturais ou sintéticas, as fibras são usadas para diminuir o surgimento de fissuras oriundas da retração plástica do concreto. As fibras de aço vêm sendo muito úteis na substituição total ou parcial das telas e barras de aço em algumas aplicações do concreto. A aplicação depende das necessidades de cada obra, mas são utilizadas, normalmente, em pavimentos rígidos, pisos industriais, projetados, áreas de piscina, pré-moldados, argamassas, tanques e reservatórios, entre outros. As fibras têm atraído a atenção dos pesquisadores nos últimos anos, sendo estudadas e muito utilizadas em algumas obras experimentais.

Concreto de Alto Desempenho (CAD)

Para usar um concreto com grande capacidade de resistência e durabilidade, ele precisa ser de alto desempenho. Os cálculos levam em consideração aditivos especiais, que geram menor porosidade e permeabilidade. Isso faz dele mais resistentes ao ataque de agentes agressivos tais como cloretos, sulfatos, dióxido de carbono e maresia. Além do aumento na vida útil das obras, este concreto pode proporcionar: desformas mais rápidas, diminuição na quantidade e metragem das fôrmas, e maior rapidez na execução da obra.

Concreto para Pavimento Rígido

Bastante utilizado em diversos países, só há poucos anos este tipo de concreto começou a cobrir estradas no Brasil. Embora tenha um custo mais elevado, a durabilidade é extremamente superior, tornando-se uma alternativa inteligente ao tradicional processo de tapar os buracos abertos das vias. Dentre as vantagens, estão a resistência, menor custo de manutenção, economia em iluminação pública, menor risco de acidentes, menor temperatura superficial, entre outras. Construção de pistas de aeroportos, corredores de ônibus e as grandes avenidas estão sendo planejadas com esta técnica.

Concreto com Módulo de Elasticidade Definido

Com a exigência do mercado de estruturas cada vez mais altas, bonitas, duráveis e de execução rápida, o setor da construção civil precisou desenvolver técnicas de baixo custo e com resultados positivos. Foi preciso deixar o projeto  mais próximo do comportamento real da estrutura, tornando necessário um conhecimento profundo das características do concreto, como a deformação, a fluência, a retração e outros parâmetros que demonstrem a resposta do concreto ao estado limite de trabalho.

O módulo de elasticidade do concreto é um dos parâmetros utilizados nos cálculos estruturais, que relaciona a tensão aplicada à deformação instantânea obtida. O módulo permite ter uma melhor noção do comportamento da estrutura em diversos aspectos. Portanto, a deformação elástica é aquela em que o material deformado retorna ao seu formato original, após a retirada da carga que o deformou, enquanto que na deformação plástica, não há retorno. No entanto, a maioria dos materiais passa por um comportamento elástico, antes de atingir uma deformação plástica, que é irreversível.

Concreto com Pega Programada

É quando o concreto começa a perder trabalhabilidade, dificultando a aplicação. A ‘pega’, no jargão da construção civil, é o momento em que as diferentes misturas que contém água e cimento sofrem uma reação química e começam a mudar de estado, perdendo a plasticidade. O início desse processo de pega é o intervalo de tempo existente entre a adição de água ao cimento e o começo da reação, variando entre 30 minutos e mais de 1 hora. O concreto de pega programada prevê um controle do tempo do processo de reação.

Concreto para Pisos Industriais

O piso de uma indústria precisa ser construído de modo a considerar todos os agentes agressivos a que está sujeito. Trânsito intenso, temperatura e substâncias químicas podem reduzir sua durabilidade. Portanto, o projeto e a execução devem apontar com clareza as especificações do concreto utilizado.

Durante a aplicação ele precisa ter baixa permeabilidade, grande resistência à abrasão, baixa fissuração e um tempo de pega conveniente. Dessa forma, o piso terá maior tempo de vida e acabamento.

Argamassa

A argamassa é o resultado da mistura de cimento, areia, cal hidratada e água. Alguns elementos regionais podem ser empregados, conforme a localização da obra, como barro, saibro e caulim. Ela atende a uma infinidade de aplicações, como revestimento de paredes, pisos e tetos, impermeabilização, nivelamento de superfícies como buracos e ondulações, assentamento de tijolos e blocos de concreto.

É muito importante lembrar que a argamassa é fruto de uma reação química que pode sofrer interferência de acordo com os materiais adicionais empregados. Vale a pena testar e analisar o objetivo do projeto.

Concreto Grout

É um tipo de argamassa que leva quartzo e aditivos especiais além de cimento, areia e água, resultado em um material com grande resistência mecânica. É boa para ser aplicada no preenchimento de vazios e juntas de alvenaria estrutural, é auto-adensável. O grout é procurado também na fixação de equipamentos, reparo de pisos e recuperação de estruturas. Pode ser “virado na obra”, comprado em grandes ou pequenos volumes.

Concreto Extrusado

Este é o concreto aplicado na construção de guias e sarjetas, sendo conhecido popularmente como “concreto farofa” ou “concreto maquininha”. O concreto utilizado na máquina extrusora deve ser elaborado com brita zero, ou pedrisco, e ter uma consistência de aproximadamente 20 mm. O rendimento do equipamento depende do perfil da peça.

Concreto Impermeável

Trata-se de um concreto com a relação água/cimento limitada, normalmente menor ou igual a 0,55. É dosado com um cimento apropriado. É aplicado em obras hidráulicas em geral, estações de tratamento d’água e esgoto, e barragens. As vantagens são: aumento da durabilidade da obra e redução dos custos de manutenção da obra.

Microconcreto

Também chamado de concreto de pedrisco, é produzido com agregados de pequena dimensão – até 9,5 mm, por isto o nome. O processo de dosagem é o mesmo dos demais tipos de concretos. Utilizados para reparos, ou em peças pouco espessas.