O setor imobiliário de São Paulo começou a sentir os efeitos da pandemia da Covid-19. Após bom início de trimestre do ano, o mês de abril revela uma queda 65% nas vendas, de acordo números do Secovi, o Sindicato da Habitação.

O presidente Jair Bolsonaro incluiu a indústria como atividade essencial na semana passada, mas no Estado de São Paulo as obras não foram paralisadas, explica o presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luís França.

“Os cuidados são muito importantes para que o trabalhador dentro da obra não tenha nenhum risco dentro da construção. Mudança de turno nas refeições,mudança de turno na hora que os operários vão embora, entramos até no detalhe de nos elevadores das obras, sobem só dois funcionários.”

A Abrinc estima que 94% dos canteiros estão em obras. Luís França destaca que, no momento, o setor não possui um grande número de distratos. “Manteve empregos, os compradores dos imóveis receberam na data conforme previsto, não estamos vendo nenhuma grandes onda de cancelamos e problemas. Em função da pandemia, você tem alguns casos e os casos pontualmente são conversados.”

 O mercado imobiliário vinha em grande ascensão em 2020 após a queda histórica da selic. A manutenção das obras publicas e privadas busca evitar ainda mais a paralisia econômica no Brasil, mas os efeitos reais nas vendas começam a ser observados no reflexo decisivo nos lançamentos dos próximos meses.
Fonte: Jovem Pan